Demanda por atendimento em saúde mental em Brumadinho cresce 400%

Crédito da foto: Divulgação/TV BrasilTV Brasil mostra como está a vida dos moradores um ano após tragédia
Da Agência Brasil 
Um ano depois do rompimento de barragem da mineradora Vale em Brumadinho (MG), a cidade registra um aumento de 400% na demanda por atendimento em saúde mental no sistema público de saúde, segundo dados da prefeitura. A tragédia, ocorrida em 25 de janeiro de 2019, deixou 270 pessoas mortas e uma cidade inteira abalada.
Há pouco mais de quatro anos, Mariana, também em Minas Gerais, viveu outra tragédia ambiental de grandes proporções, quando a barragem da Samarco, empresa controlada pela Vale e pela BHP Billiton, se rompeu e matou 19 pessoas. O Caminhos da Reportagem esteve em Brumadinho e em Mariana para mostrar como está a vida das pessoas afetadas pelo rompimento das barragens da mineração.
Buscas por desaparecidos após rompimento de barragem em Brumadinho continuam
Buscas por desaparecidos continuam em Brumadinho - Divulgação/TV Brasil
Em Brumadinho, os bombeiros continuam as buscas pelos últimos 11 corpos ainda não encontrados. Esta é a maior operação de resgate já realizada na história do Brasil. Nos números oficiais, são 270 mortes. Mas as famílias atingidas contam também os dois bebês de duas mulheres grávidas que morreram na tragédia, e divulgam o número de 272 mortes.
Josiane Melo é engenheira civil e funcionária da Vale. Ela perdeu a irmã Eliane na tragédia de Brumadinho
Josiane Melo é engenheira civil e funcionária da Vale. Ela perdeu a irmã Eliane na tragédia de Brumadinho - Divulgação/TV Brasil


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.