RN é o 14º estado do país com maior taxa de mortalidade, revela levantamento da Líder

Crédito da foto: Arquivo/JORNAL DE FATOMorte no trânsito tem alto índice no Rio Grande do Norte
Em dez anos, o Rio Grande do Norte saltou cinco posições na taxa de mortalidade no trânsito. O cenário é apontado em levantamento divulgado nesta sexta-feira (20) pela Seguradora Líder, empresa que administra o Seguro DPVAT. O estado potiguar passou da 19ª posição para a 14ª em mortes no trânsito.
O quadro consta no “Relatório Especial 10 Anos - Taxa de Mortalidade no Trânsito”, publicado nesta Semana Nacional do Trânsito, que acontece de 18 à 25 deste mês. O mapeamento mostra que no ano de 2009 o RN ocupava o 19º lugar na quantidade de indenizações pagas por mortes no trânsito. O estado teve 679 registros, com uma população estimada de quase 3 milhões e 138 mil.
Neste período, o estado do Acre liderou o ranking com 1.931 indenizações pagas por mortes no trânsito. Passados dez anos, o RN subiu cinco posições, com um aumento de 4%, o 9º maior crescimento do país. Com 707 indenizações pagas por mortes no trânsito, o estado potiguar passou para a 14ª colocação, em uma população estimada de quase 3 milhões e 500 mil.
Neste período, o Tocantins assumiu a primeira posição com 593 registros. No acumulado de dez anos, o RN somou 7.601 indenizações por mortes no trânsito; sendo 2013 o ano mais violento, com 911 casos; e 2016 o menos, com 571. O levantamento detalha também que no ano de 2009 automóveis lideraram as indenizações no estado potiguar e em 2018 as motocicletas apareceram no topo do pagamento do benefício.
O levantamento também ainda que a maioria das vítimas em nível nacional é do sexo masculino e com idade entre 18 e 34 anos; sendo o horário do anoitecer como o de mais incidência de casos. Ainda segundo o Relatório Especial 10 Anos - Taxa de Mortalidade no Trânsito, os dados reunidos dos últimos dez anos de pagamento de indenizações do Seguro DPVAT por morte apontam que 229.882 pagamentos foram por acidentes que tiveram os condutores como vítima.
Desse total, os casos que envolviam motociclistas representaram cerca de 62,4% do total de ocorrências envolvendo vítimas fatais; e os pedestres seguem como a segunda categoria mais indenizada por morte, com 159.982 benefícios concedidos para essa parcela da população nos últimos 10 anos. Os passageiros foram os menos atingidos, somando 94.270 indenizações pagas pelo Seguro DPVAT.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.