Guamaré inicia produção de combustível naval com baixo teor de enxofre

Crédito da foto: ArquivoO Ativo Industrial de Guamaré iniciou a produção do Bunker 2020
O Ativo Industrial de Guamaré, no Rio Grande do Norte, iniciou a produção do Bunker 2020, óleo combustível utilizado em motores de navios, com baixo teor de enxofre. Ela é da Unidade de Operações de Exploração e Produção do Rio Grande do Norte e Ceará (UO-RNCE), da Petrobrás.
Segundo a Petrobrás, a partir de janeiro de 2020, conforme regulamento da Convenção Internacional para a Prevenção da Poluição por Navios (Marpol), todo combustível para navios comercializado no mundo deve possuir teor de 0,5% de enxofre. A nova especificação visa a reduzir efeitos da poluição ao meio ambiente. As mudanças começaram a ser debatidas após estudos demonstrarem que o transporte marítimo é o que possui as maiores taxas de emissão de enxofre.
A estatal explica que desde abril está adequando suas refinarias e unidades operacionais para a produção de Bunker 2020. A expectativa é que até outubro todas as unidades de produção do combustível já tenham o produto dentro das especificações mundiais. Além dos ganhos ambientais, o novo combustível trará maior rentabilidade para a companhia.
Além do Ativo Industrial de Guamaré, outras unidades da companhia já produzem o óleo combustível. São elas: Refinaria Abreu e Lima (Rnest), em Pernambuco, Refinaria Isaac Sabbá (Reman), no Amazonas, Refinaria Landulpho Alves (RLAM), na Bahia, Refinaria de Paulinia (Replan) e Refinaria Henrique Lage (Revap), ambas em São Paulo, e Refinaria Duque de Caxias (Reduc), no Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.