Polícia indicia Bandeira de Mello e outras sete pessoas por mortes em incêndio

Crédito da foto: Gilvan de Souza/FlamengoEduardo Bandeira de Mello foi indiciado por homicídio doloso
A Polícia Civil do Rio de Janeiro indiciou por homicídio doloso o ex-presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, e outras sete pessoas pelas mortes de dez atletas no incêndio do Ninho do Urubu, CT do clube, no dia 8 de fevereiro deste ano.
Na investigação, assinada pelo delegado Márcio Petra, a polícia observou os envolvidos sabiam que o contêiner tinha diversas irregularidades estruturais e elétricas; a ausência de reparos dos aparelhos de ar condicionado instalados no contêiner; a ausência de monitor no interior do contêiner e a recusa de assinatura do TAC proposto pelo Ministério Público do Rio de Janeiro para que fosse regularizada a situação precária dos atletas da base do time.
Além disso, o inquérito aponta que o descumprimento da Ordem de Interdição do CT editada pelo Poder Público Municipal por falta do alvará de funcionamento e do certificado de aprovação do Corpo de Bombeiros, e a piora das condições do alojamento dos jogadores da base, inclusive, no que se refere a segurança contra incêndio, assinalada nos autos da Ação Civil movida pelo MPRJ.
Na investigação, a polícia observou as seguintes questões:
Conhecimento de que diversos atletas da base residiam no contêiner;
Estrutura incompatível com a destinação (dormitório);
Contêiner com diversas irregularidades estruturais e elétricas;
Ausência de reparos dos aparelhos de ar condicionado instalados no contêiner;
Ausência de monitor no interior do contêiner;
Recusa de assinatura do TAC proposto pelo Ministério Público do Rio de Janeiro para que fosse regularizada a situação precária dos atletas da base do Flamengo;
Piora das condições do alojamento dos jogadores da base, inclusive, no que se refere a segurança contra incêndio, assinalada nos autos da Ação Civil movida pelo MPRJ;
Descumprimento da Ordem de Interdição do CT editada pelo Poder Público Municipal por falta do alvará de funcionamento e do certificado de aprovação do Corpo de Bombeiros;
Múltiplas multas impostas pelo Poder Público Municipal diante do descumprimento da Ordem de Interdição;
Causa entre o cenário exposto e o incêndio.
Com informações do Globoesporte.com e Extra

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.