Sargento PM é preso pela Polícia Cível como suspeito da morte da universitária

Crédito da foto: ReproduçãoZaira, de 22 anos, tinha um relacionamento com o policial Pedro Inácio
Um sargento da PM Pedro Inácio Maria, da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, foi preso nesta sexta-feira (15) como principal suspeito da morte da universitária Zaira dos Santos Cruz, de 22 anos.
A estudante foi encontrada morta na manhã do sábado de carnaval dentro de um carro em um condomínio na cidade de Caicó, que fica na mesma região. Zaira, o sargento e mais um grupo de amigos alugaram uma casa para passar o carnaval em Caicó.
Segundo o delegado Leonardo Germano, da Delegacia de Polícia de Caicó, Zaira foi assassinada pelo policial por asfixia mecânica, ou seja, foi estrangulada. Porém, a motivação ainda não foi revelada.
Ao G1, o delegado contou que foi o próprio PM quem chamou a polícia. "Ainda na manhã do sábado de carnaval, em um primeiro depoimento, ele disse que teve relação sexual com a jovem dentro do carro, antes de chegarem ao condomínio. E que ela 'apagou' dentro do veículo, e que ele a deixou dormindo no carro porque não quis acordá-la. E quando amanheceu, ele foi no carro vê-la, e ela estava morta. Porém, acreditamos que ele já chegou na casa com ela morta dentro do carro, e que em algum momento antes ele a violentou e a matou", ressaltou o delegado, revelando haver indícios fortes de que a moça foi estuprada.
Ainda de acordo com Germano, ao ser preso nesta manhã, o policial se reservou ao direito de permanecer em silêncio e só falar em juízo. "Eles não eram namorados, mas estavam tendo um relacionamento. Foi o que disseram os amigos", complementou.
Natural de Currais Novos, Zaira morava em Mossoró, onde cursava Engenharia Química da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa). Ela deveria se formar ainda este ano.
Há 15 anos na PM, o sargento é lotado no Fórum de Currais Novos. Ele foi preso em casa, sob força de um mandado de prisão preventiva.
Com as informações do G1-RN

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.