Com saída de Cuba do programa 'Mais Médico', o RN perde 142 profissionais cubano

Crédito da foto: Ffoto de 2015 — Karina Soares Médico Raul Hernandez, de Cuba, atendendo em São Miguel do Gostoso através do programa Mais Médicos
A decisão de Cuba de sair do Programa Mais Médico no Brasil, deve tirar 142 médicos cubanos do Rio Grande do Norte. O Ministério da Saúde de Cuba anunciou a decisão nesta quarta-feira (14) porque não aceitou as mudanças definidas elo novo governo brasileiro (VEJA AQUI).
A Secretaria Estadual de Saúde Pública revela que ao todo são 282 médicos em atividade no RN através do Programa Mais Médicos, sendo que destes 142 são cubanos e atuam em 67 municípios do RN.
O governo estadual pretende se articular com o Conselho dos Secretários Municipais de Saúde para discutir estratégias que venham a sanar a deficiência.
Em nota, o Governo de Cuba afirmou que considera que a ideologia do presidente eleito do Brasil em 2018, Jair Bolsonaro, ameaça a integridades dos profissionais cubanos. E também não admite que o gestor questione a preparação dos médicos para condicionar a permanência deles no programa.
“Condicionamos a continuidade do programa Mais Médicos à aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou”, justificou.
Fonte: De Fato 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.