Sindicato dos Portuários emite nota sobre demissões de empregados na Codern

O sindicalista Silvano Barbosa é presidente do Sinporn
O Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Portuários do Rio Grande do Norte (SINPORN), enviou hoje a redação do Canal Areia Branca, uma nota pública que faz críticas a demissão de empregados na Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN), ocorridas nos últimos meses.

De acordo com o que escreveu o diretor da entidade sindical, Silvano Barbosa, a classe portuária foi surpreendida por um ato da diretoria da Codern que resultou na demissão de empregados de carreira. 

A entidade ainda faz críticas a situação financeira da Codern, que não aplicou nenhum Plano de Desligamento Voluntário (PDV), que segundo classificou a nota seria uma "forma menos traumática e mais digna do trabalhador se desligar de uma empresa do governo[...]", enfatizou.  

O documento sugere que há indícios de que a crise financeira que a Companhia enfrenta, ocorre em função da defasagem das tarifas portuárias praticadas no Terminal Salineiro de Areia Branca. Ao final pondera sobre o equilíbrio das finanças a partir de uma revisão tarifária e da redução de cargos comissionados.  

A redação entrará em contato com a Codern para que se posicione sobre as alegações do Sinporn. 

Um comentário:

  1. Demissão de empregados, assim como a admissão, devem estar presentes o princípio da impessoalidade, da publicidade e do devido processo legal, ou seja, a demonstração de que a escolha dos demitidos seguiu um rito publico de impessoalidade, afinal, como posso demitir A e não o B se são 'iguais' como trabalhadores? Essa diferenciação consubstanciará na motivação válida e, somente aí, a legalidade no ato demissional, algo já debatido no Recurso Extraordinário nº 589.998/PI STF.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.