Justiça determina que 70% dos servidores estaduais da saúde voltem ao trabalho

Servidores da saúde em frente ao Hospital Regional Tarcísio Maia
Decisão do desembargador Amaury Moura Sobrinho, no último sábado, 18, determinou que 70% dos serviodores públicos estaduais da área da saúde retornem imediatamente ao trabalho. A categoria começou na última segunda-feira, 13, uma greve por tempo indeterminado. 
A paralisação é motivada por atrasos salariais do Governo do Estado. Apenas 30% do contingente de servidores estaduais da saúde vinham trabalhando e apenas em serviços essenciais de urgência e emergência.
O plantonista da Corte no momento julgou pedido que havia sido efetuado pelo procurador do Estado, Francisco Wilkie Rebouças. A Procuradoria havia solicitado a concessão de tutela provisória para determinar a ilegalidade da greve.
Caso a medida seja descumprida, haverá multa diária de R$ 25 mil a ser paga pelo Sindicato dos Servidores em Saúde do Estado do Rio Grande do Norte (Sindsaúde/RN).
Em nota publicada neste domingo, o Sindsaúde disse que ainda não foi notificado. Afirma ainda que haverá uma assembleia para decidir os rumos do movimento quando o documento chegar a entidade.
Confira a nota que o Sindsaúde-RN fez em resposta à decisão judicial sobre a greve da saúde do RN A greve da saúde do RN continua firme e forte
Neste sábado (18), o desembargador Amaury Moira Sobrinho decidiu por conceder PARCIALMENTE o pedido da ação judicial do Governador Robinson contra a greve.
O desembargador negou o pedido de ilegalidade da greve. A decisão foi parcial, colocando a obrigatoriedade de assegurar 70% dos servidores nos serviços de saúde sob pena de multa para o sindicato de R$ 25 mil por dia.
No entanto, essa decisão só nos faz modificar o percentual de pessoas que podem sair do plantão, mas até o momento, o Sindsaúde-RN ainda não foi NOTIFICADO, logo, essa decisão ainda não tem efeito sobre nossa greve.
Portanto, continuamos com apenas 30% dos serviços atendendo urgências e emergências. Sabemos que essa é uma manobra do governo em conjunto com o judiciário. Infelizmente o judiciário tem um lado e não é o lado dos trabalhadores (as) que lutam por melhores condições de trabalho.
Por isso, queremos afirmar que as informações veiculadas por alguns blogs de que a greve foi decretada ilegal não procede.
Após sermos notificados faremos uma ASSEMBLEIA e um informativo para orientar a continuidade da nossa greve mesmo com esta decisão.
Não vamos parar até que todos recebam seus salários e que seja regularizado o calendário de pagamento.
Sigamos firmes na greve e no acampamento dos servidores!
SINDSAÚDE -RN

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.