Acusado de desviar milhões da Assembleia Legislativa está de volta nesta sexta-feira

Deputado estadual Ricardo Motta (PSB) está de volta à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. Os deputados aprovaram decreto legislativo que revoga a decisão do desembargador Glauber Rêgo, do Tribunal de Justiça (TJRN) que determinou o afastamento de Motta, investigado por suposto atos de corrupção.
Motta foi afastado do mandato no dia 9 de junho deste ano, que teria duração de seis meses. O desembargador Glauber Rêgo acatou pedido do Ministério Público Estadual (MPRN), que investiga o envolvimento do deputado no esquema de desvio de recursos públicos do Idema-RN, desmantelado pela operação Candeeiro.
A Procuradoria-Geral de Justiça denunciou Ricardo Motta por práticas criminosas, apontando que ele se beneficiou do esquema que desviou quase 20 milhões de reais do Idema. Motta teria ficado com pelo menos R$ 11 milhões, segundo delações premiadas de envolvidos no esquema criminoso.
A PGJ apurou que os recursos foram utilizados em campanhas eleitorais de Ricardo Motta. No pleito de 2014, além de ter renovado o mandato como o mais votado à Assembleia Legislativa, ele elegeu o filho Rafael Motta (PSB) à Câmara dos Deputados, como o segundo mais votado. Na época, Ricardo Motta era presidente da ALRN.
AÉCIO NEVES
O decreto legislativo aprovado nesta terça-feira (24), na sessão conduzida pelo presidente Ezequiel Ferreira (PSDB), teve como argumento a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o senador Aécio Neves (PSDB). A Corte entendeu que caberia o Senado adotar as medidas cautelares contra o senador, o que acabou resultando no retorno do tucano ao mandato.
Com base na decisão do STF, 20 deputados votaram pelo retorno de Ricardo Motta e apenas Fernando Mineiro (PT) foi contra. Estavam ausentes os deputados José Adécio (DEM), Cristiane Dantas (PC do B) e Márcia Maia (PSDB).
Fonte: Blog do Carlos Santos

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.