Polícia Civil do RN tenta descobrir quem são jovens que exibem armas e fazem ameaças em vídeo

Armas aparecem em vídeo de jovens que ameaçam rivais no interior do RN (Foto: Reprodução)
Polícia Civil de Areia Branca, município da região Oeste potiguar, investiga um vídeo que circula nas redes sociais mostrando jovens armados. Eles se apresentam como membros de uma facção criminosa e fazem ameaças a rivais.
A investigação começou depois que a polícia recebeu o vídeo que circulava em redes sociais na manhã desta segunda-feira (10).
Ao todo, sete jovens são vistos nas imagens, com rostos cobertos por camisetas. Cinco deles exibem armas de grande porte, metralhadora e revólveres. O delegado titular de Areia Branca, Antonio Augusto, suspeita que a metralhadora seja de plástico.
"Ainda vamos nos deter mais aos áudios para buscar detalhes que possam facilitar a identificação desses criminosos", detalhou. Questionado, o delegado informou que não havia informações sobre guerra entre facções criminosas no município.
Segundo o Educleudes Marrocos, chefe de investigação, os suspeitos são adolescentes de Areia Branca e de Mossoró, cidade vizinha. "Estamos fazendo uma investigação preliminar para saber quem são essas pessoas e de onde elas são", informou.
O investigador explicou que, para abrir um inquérito, a polícia precisa da materialidade do crime e do autor. "No caso, temos a materialidade, que são as armas. Mas ainda não identificamos os autores do vídeo", pontuou.
G1 conversou com moradores da cidade, que disseram estar assutados. Areia Branca tem cerca de 27 mil moradores, segundo o IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.
Os criminosos poderão responder à Justiça por porte ilegal de armas, apologia ao crime e formação de quadrilha, informou o delegado. Qualquer pessoa pode fornecer informações que constribuam com a prisão dos suspeitos pelo telefone (84) 3332-5045. Não é preciso se identificar.

Armas

De acordo com a legislação brasileira, portar arma de fogo é crime inafiançável para calibres não permitidos. A pena é de 2 a 4 anos e multa. O mesmo vale para quem, sem autorização legal, portar, deter, adquirir, fornecer, ter em depósito, transportar, ceder, emprestar, remeter, ocultar, manter arma de fogo, acessório ou munição. No país, também são expressamente proibidas a fabricação, venda, comercialização e a importação de brinquedos, réplicas ou simulacros de armas de fogo que com essas possam ser confundidas.

Apologia

Ainda segundo o Código Penal Brasileiro, consta no artigo 287 da Lei 2.848 que é crime “fazer, publicamente, apologia de fato criminoso ou de autor de crime. A pena prevista é de 3 meses a 6 meses de detenção ou multa. A mesma pena está prevista no artigo 286, que diz: “Incitar, publicamente, a prática de crime”.
Fonte: G1/RN

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.