Por 3 votos a 1, STF decide mandar goleiro Bruno de volta à prisão

Bruno foi condenado a 22 anos e três meses de prisão pelo assassinato e ocultação do cadáver de Eliza, com quem teve um filho
Por 3 votos a 1, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a volta do goleiro Bruno Fernandes à prisão. Condenado em primeira instância pela morte da ex-namorada Eliza Samudio, o jogador foi solto em 21 de fevereiro por decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do mesmo STF. A mãe de Eliza Samúdio celebrou a decisão: 'Senti um alívio'. Até o contrato de time mineiro com Bruno permite rescisão em caso de nova prisão.





Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.