Parques eólicos instalados na região da Costa Branca mudam realidade dos municípios de Areia Branca e Serra do Mel

Durante a inauguração do parque, Klein também expressou sua preocupação com os efeitos da crise econômica no setor eólico. De acordo com o diretor, uma pausa nos leilões de energia afetaria toda a cadeia produtiva movimentada pelo setor.

Mais do que a mudança na paisagem, a presença de usinas de energia eólica vem alterando a realidade dos municípios de Areia Branca e Serra do Mel, localizados na Costa Branca potiguar. Os altos investimentos para instalação dos parques, além de consolidar o estado como maior gerador de energia eólica do país também alteram a realidade das pequenas comunidades da região.


Inaugurado nesta quarta-feira (29) em Serra do Mel, o Complexo Eólico Vamcruz é um exemplo do impacto causado pela presença das empresas na região. Resultado de uma parceria entre a empresa francesa Voltalia e as brasileiras Encalso Damha e Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), apenas o arrendamento das terras para instalação dos aerogeradores beneficia 60 proprietários de terra da região.
“Vamcruz é um projeto muito emblemático. São 60 proprietários que formaram uma vila e nós temos que nos entender com todos eles. Pagamos para todos eles um valor igual, independente se eles têm uma eólica dentro do terreno deles ou não. Isso dá uma complementação de renda as pessoas que vivem em sua maioria da agricultura”, explicou Robert Klein, diretor geral da Voltalia no Brasil.
Apenas a empresa francesa investiu cerca de R$ 7 milhões diretamente projetos envolvendo esporte, saúde, qualidade de vida e geração de renda em cidades potiguares, a maior parte na região da Costa Branca.
Robert Klein, diretor geral da Voltalia no Brasil (Foto: Erivan Silva)
Além dos benefícios diretos as comunidades, a presença das empresas também desenvolve a infraestrutura dos municípios. Para a implantação dos parques eólicos do complexo Vamcruz e de Areia Branca, a Voltalia reestruturou a estrada e implantou a sinalização de acesso aos municípios desde Mossoró. Outro investimento em infraestrutura foi a reforma e ampliação das unidades básicas de saúde das vilas Amazonas e Pará, em Serra do Mel.
Subestação envia produzida pelos aerogeradores a segunda subestação de Areia Branca (Foto: Renato Vasconcelos) 
“Alguém fez o mundo muito bem e colocou os ventos em uma área que ainda precisa ser desenvolvida. E eu acho que a eólica hoje tem um papel fundamental no desenvolvimento do Nordeste”, concluiu Klein.
Fonte: G1/RN

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.